Dieta

Dieta da cintura perfeita

Aprender a comer para perder quatro quilos sem ter de ir ao ginásio

 

Emagrecer sem ter de passar horas e horas a suar e a fazer exercício é o sonho máximo de quem pretende exibir um corpo magro, firme e tonificado. Para o autor desta dieta, C. W. Randolph Junior, um obstetra e ginecologista norte-americano, os quilos que as pessoas vão acumulando à volta da cintura depois dos 30 anos (mulheres) ou dos 40 anos (homens) estão pouco relacionados com as calorias ingeridas ou com a falta de vontade de fazer abdominais.

Este médico, que se dedica há mais de duas décadas a ajudar mulheres a perder peso, defende a ideia de que a gordura abdominal é o sinal externo de um desequilíbrio hormonal, conhecido como domínio do estrogénio, e que acontece quando a produção deste não está em equilíbrio com a de progesterona.

 

Quando há demasiado estrogénio a circular no corpo, a gordura corporal aumenta e os tecidos adiposos produzem e armazenam mais estrogénio, fazendo com que o corpo seja incapaz de usar eficazmente a gordura armazenada para produzir energia.

 

Se esses elevados níveis de estrogénio não forem contrabalançados por uma quantidade suficiente de progesterona, a gordura vai acumular-se sobretudo na cintura. O domínio do estrogénio torna ainda as hormonas disfuncionais, fazendo com o metabolismo corporal fique mais lento.

 

Público alvo

Esta dieta destina-se sobretudo a mulheres com mais de 30 anos e homens com mais de 40 anos mas também a pessoas que tenham engordado cinco ou mais quilos durante o último ano, indivíduos com sintomas de ansiedade, depressão e fadiga e ainda mulheres que apresentam sensibilidade nos seios, dores de cabeça, enxaquecas, distúrbios digestivos, pensamento confuso, perda de memória e pouco desejo sexual há mais de três meses.

Este regime alimentar hipocalórico é ainda indicado para pessoas que estão expostas com frequência ao estrogénio ambiental ou xenoestrogénio, indivíduos que se encontram nos pesticidas, nos plásticos, nos combustíveis, nos gases de escape automóvel e/ou no lixo industrial, entre outros.

Alimentação a seguir

Para além dos alimentos essenciais, deve comer uma dose de proteína a cada refeição sob a forma de carne, peixe, leguminosas, ovos, grão, feijão, duas doses por dia de cálcio, que pode ser encontrado nos lacticínios, espinafres e feijão. Tempere os alimentos com azeite, ou óleos de canola e linhaça. Beba oito copos de água por dia.

Suplementos necessários

Esta dieta incentiva o uso de suplementos nutricionais que acentuam o equilíbrio hormonal, tais como
D-glucarato, diindolilmetano, vitaminas dos complexos B e E, composto de cálcio-magnésio, DHEA e/ou quitosano.

É obrigatório, para quem segue este regime, fazer uma lista dos alimentos que deve adquirir antes de ir às compras, comer três refeições por dia e nunca saltar o pequeno-almoço, se o fizer provavelmente o seu metabolismo vai desacelerar. Manter um registo semanal de perda de peso e uma agenda alimentar diária.

Plano alimentar a seguir

- Legumes crucíferos
Deve ingerir duas a três doses por dia, sobretudo brócolos, espargos, couve-flor, espinafres, couves-de-bruxelas, aipo, beterraba, couve-galega, repolho, caule de salsa, rabanete, nabo e/ou couve-frisada. Melhoram a produção de estrogénio bom (E3) que, segundo alguns estudos, protege do cancro.

- Citrinos 
Uma dose por dia. Laranja, toranjas, tangerinas, limões e limas são as melhores opções. Promovem a desintoxicação do estrogénio.

 

- Fibras insolúveis 
Duas doses por dia recomendadas. A lista dos alimentos a ingerir nesta categoria inclui cereais integrais, pão de trigo integral, arroz integral, farelo de trigo, cuscuz, cenouras, curgetes, aipos e tomate. Além de muito saudáveis e nutritivos, estes alimentos ajudam a diminuir a sobrecarga de estrogénio.

- Lignanas
Deve procurar ingerir duas a três doses por dia, nomeadamente sementes de linhaça, sementes de sésamo e óleo de linhaça. As lignanas reduzem a actividade do estrogénio ao nível celular.

- Alimentos proibidos
Hidratos de carbono não integrais, cafeína, álcool e alimentos ricos em gorduras saturadas e em fitoestrogénios. Evite-os a todo o custo!

«Como dieta restritiva é muito saudável e tem vários benefícios para a saúde, ajuda na prevenção de cancro e na melhoria dos níveis de açúcar nos diabéticos, pode é não ser adaptada para toda a gente», assegura Alva Seixas Martins, nutricionista. Essa não é, contudo, a única vantagem deste regime.

«Aborda também uma questão sobre a qual pouco se fala que é a ingestão de fruta em excesso. Apesar de ser saudável, não é a melhor opção para as mulheres na pré-menopausa e na menopausa e esta dieta aconselha, apenas e bem, duas porções de fruta por dia, uma citrina e outra. Outro aspecto importante é o facto da proteína estar presente em todas as refeições, não se correndo assim o risco de perder músculo», refere ainda.

Mas este tipo de regime dietético também tem desvantagens. «A justificação para esta dieta é que pode ser mais discutível. As pessoas engordam a partir dos 30 anos porque ficam mais sedentárias. A partir dos 40 anos e quanto mais se aproxima a menopausa há de facto alterações hormonais», sublinha a nutricionista.

«A hormona dominante passa a ser o estrogénio e há uma diminuição mais abrupta da progesterona. Isso altera a forma como o nosso metabolismo funciona e as zonas onde a gordura se deposita. O médico faz ainda um grande apelo aos cremes com progesterona e acho que isso deve ser discutido com o médico de família, ginecologista ou endocrinologista. Há também uma restrição de lacticínios que não será necessária, pelo menos para a maioria das pessoas», conclui.

Diet perfect waist

 


Learning to eat to lose four pounds without having to go to the gym

Weight loss without having to spend hours sweating and exercise is the ultimate dream for those who want to display a lean, firm and toned. For the author of this diet, C. W. Randolph Jr., an obstetrician and gynecologist U.S., the pounds that people accumulate around the waist after age 30 (women) or 40 (men) have little to do with the calories or the unwillingness to doing abs.

This doctor, who is engaged for more than two decades to help women lose weight, supports the idea that abdominal fat is the outward sign of a hormonal imbalance known as estrogen domain, and what happens when this production is not balanced with progesterone.

When there is too much estrogen circulating in the body increases body fat and adipose tissues produce and store more estrogen, causing the body is unable to effectively use stored fat for energy.

If these high levels of estrogen are not balanced by enough progesterone, the fat will accumulate above the waist. The domain of the estrogen hormones makes it dysfunctional, causing the body's metabolism to slow down.

Target Audience

This diet is intended primarily to women over 30 and men over 40 years but also to people who have gained five or more pounds during the last years, individuals with symptoms of anxiety, depression and fatigue and even women who have breast tenderness, headaches, migraines, digestive disorders, confused thinking, memory loss and low sex drive for more than three months.

This hypocaloric diet is also indicated for people who are frequently exposed to estrogen or environmental xenoestrogénio, individuals who are in pesticides, in plastics, fuels, automotive exhaust gas and / or industrial waste, among others.

Food below

In addition to the essential food, should eat a dose of protein at every meal in the form of meat, fish, legumes, eggs, grains, beans, two doses per day of calcium, which can be found in dairy products, spinach and beans. Season the food with oil, and canola and flaxseed. Drink eight glasses of water a day.

Necessary supplements

This diet encourages the use of nutritional supplements that enhance hormonal balance, such as

D-glucarate, diindolylmethane, vitamins B and E of the complex, composed of calcium magnesium, DHEA and / or chitosan.

It is mandatory for anyone who follows this system, make a list of foods that must acquire before you go shopping, eat three meals a day and never skip breakfast if you do probably will slow your metabolism. Keep a weekly record of weight loss and a daily food schedule.

Food plan to follow

- Cruciferous Vegetables

It should take two to three doses per day, especially broccoli, asparagus, cauliflower, spinach, brussels sprouts, celery, beets, kale, cabbage, parsley stems, radish, turnip and / or curly kale. Improve the production of a good estrogen (E3), which according to some studies, protects against cancer.

- Citrus

One dose a day. Orange, grapefruit, tangerines, lemons and limes are the best options. Promote estrogen detoxification.

- Insoluble fibers

Two servings a day recommended. The list of foods to eat in this category includes whole grains, whole wheat bread, brown rice, wheat bran, couscous, carrots, zucchini, celery and tomatoes. In addition to very healthy and nutritious, these foods help to lessen the burden of estrogen.

- Lignans

You should seek eat two to three doses per day, including flax seeds, sesame seeds and linseed oil. The lignans reduce the activity of estrogen at the cellular level.

- Forbidden foods

Carbohydrates not integral, caffeine, alcohol and foods high in saturated fat and phytoestrogens. Avoid them at all costs!

"How restrictive diet is very healthy and has several health benefits, help in preventing cancer and improving blood sugar levels in diabetics, it may not be suitable for everyone," Alva ensures Seixas Martins, nutritionist.This is not, however, the only advantage of this scheme.

"It also addresses an issue on which little has been said that eating fruit is in excess. Despite being healthy is not the best option for women in pre-menopausal and menopausal women and this diet counseling, and well just two servings of fruit a day, a citrus and other. Another important aspect is that the protein is present at every meal, do not run the risk of losing muscle, "says yet.

But this kind of dietary regimen also has disadvantages. "The rationale for this diet is that it can be more controversial. People gain weight from 30 years because they are more sedentary. From 40 years and the more they approach menopause because of hormonal changes there, "he underlined the nutritionist.

"The dominant hormone estrogen becomes more and there is an abrupt decrease in progesterone. This changes the way our metabolism works and the areas where fat is deposited. The doctor also does a great appeal to the progesterone cream and I think that should be discussed with the family doctor, gynecologist or endocrinologist. There is also a restriction of dairy products will not be required, at least for most people, "he concludes.


© Órbitanews 2014