Hepaite B

Hepatite B


Uma doença que afecta o fígado. Conheça a vacina que o defende

hepatite b

A Hepatite B é «uma inflamação do fígado causada pelo vírus da hepatite B (VHB)», revela a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG).

A transmissão do vírus ocorre por via sexual, por transfusão sanguínea ou objectos com sangue contaminados. De acordo com a SPG, este vírus pode causar doença hepática aguda e crónica.

No quadro agudo, são sintomas desta patologia o cansaço, a febre, a falta de apetite, náuseas e icterícia. No entanto, a maioria dos portadores não tem sintomas e o fígado continua normal ou com uma inflamação mínima. Já a infecção crónica é «uma das principais causas de cirrose e de cancro do fígado em todo o mundo».

Quem deve tomar a vacina

Esta vacina está prevista no Plano Nacional de Vacinação, sendo administrada durante a infância em três doses (à nascença, aos dois meses e aos seis meses) e a jovens entre os 10 e 13 anos (aplicável a crianças que nasceram antes de 1999).

Na idade adulta, recomenda-se que esta vacinação seja administrada no pessoal de saúde que contacte directamente com os doentes, nos viajantes para áreas endémicas (como Ásia e África), nos hemofílicos, insuficientes renais, toxicodependentes e forças de segurança.

Em geral, a vacina deve ser administrada em três doses. Se houver desenvolvimento de anticorpos, não há necessidade de reforços ou de revacinações.

Vai viajar?

No caso dos viajantes que não tenham sido vacinados, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, existem vários esquemas de vacinação. O mais utilizado prevê que as duas primeiras doses da vacina sejam dadas com um mês de intervalo, sendo a terceira administrada seis meses depois da primeira.

Outra modalidade pressupõe o início da vacinação três meses antes da partida. Neste caso, a vacinação é feita em três doses administradas com um mês de intervalo entre cada e uma quarta dose é administrada entre seis a 12 meses depois da primeira dose. 



Esquema de vacinação rápido

Há ainda outro esquema de vacinação possível em três doses que deve ser iniciado cerca de três semanas antes da partida.

Neste, a segunda dose da vacina é aplicada sete dias depois da primeira e a terceira duas semanas depois da segunda dose.

É também necessária uma quarta dose adicional mas que pode ser administrada um ano depois da primeira dose.

Para alguns viajantes pode ser recomendada uma vacina combinada da Hepatite A e B, existindo também vários esquemas de vacinação que são iniciados seis meses, dois meses ou cerca de três semanas antes da partida.

Casos em que a vacina não pode ser tomada

  • Doentes com febre superior a 38 ºC
  • Indivíduos que tiveram uma reacção alérgica muito grave a uma dose anterior ou a uma substância que se sabe estar presente na vacina
  • Pessoas com o sistema imunitário debilitado
  • Grávidas


Reacções secundárias


Geralmente, as vacinas não causam reacções secundárias significativas, podendo verificar-se apenas febre, dores de cabeça, náuseas ou vómitos e o aparecimento de um nódulo duro, avermelhado e doloroso no local de aplicação da vacina.

Caso, após a sua toma, surjam sintomas como febre elevada ou sintomas característicos de uma reacção alérgica grave como falta de ar, fraqueza, ritmo cardíaco acelerado, palidez, tonturas ou urticária, deve procurar ajuda médica.


© Órbitanews 2014