Qualidade de vida

Métodos e técnicas que podem melhorar a qualidade de vida

 

vm1

Realmente é comum que muita gente ainda em Portugal pense que a Meditação ou a Ioga se aplica somente aos Orientais, aos que ambicionam um determinado desenvolvimento espiritual ou para que os indivíduos nela entrosados possam alcançar estados alterados de consciência – sob ponto de vista positivo. Todavia, e apesar de alguns aspectos inseridos nesses conceitos e pareceres acima descritos serem realmente autênticos, a Meditação e a Yoga permitem que o indivíduo experimente sistematicamente outras possibilidades, particularmente uma oportunidade que seria muito importante considerar, que é: a obtenção da Serenidade, Pacificação, Compaixão e Paz Interiores.

 Como muita gente sabe – a cada instante os nossos cérebros produzem uma variedade quase infinita de padrões de actividade, oriundos da combinação de quatro categorias de ondas cerebrais, designadas Beta, Alpha, Theta, Delta, os quais determinam o nosso estado de consciência momento a momento das nossas vidas. Quando se atinge um determinado padrão de performance mental e de criatividade, o nosso cérebro produz um modelo de actividade no qual essas categorias atrás referidas se combinam numa configuração bastante específica, abrindo poderosos canais para a informação que flui entre o subconsciente e o consciente. Ora, esses padrões cerebrais de alta performance podem ser medidos e, acima de tudo, treinados.

No início da década de 70, Maxell Cade, então professor de psicobiologia da Universidade de Londres, também mestre zen e precursor dos estudos de biofeedback na Inglaterra, iniciou as suas pesquisas sobre a actividade cerebral de praticantes e de monges budistas em meditação. O Prof. Maxell Cade demonstrou que existe uma correspondência directa e muito objectiva entre esses padrões de actividade eléctrica do cérebro e os estados de consciência. Isso permitiu não só o estudo científico profundo desses estados subjectivos, através do exame detalhado da combinação das quatro categorias de ondas cerebrais subjacentes na sua composição, mas também o seu próprio treino de modo a explorar, através do aprimoramento de diferentes técnicas de meditação estudadas, as capacidades latentes em todos os cérebros.

Segundo a minha observação ao longo de muitos anos como praticante e, muito particularmente, como budista e pesquisador desta prática filosófica, cheguei à conclusão que a experiência séria e aperfeiçoada de exercícios diariamente específicos produz, nas fases iniciais do treino, bem-estar integral, redução sistemática de stress e uma clareza mental espantosa. Em estágios mais avançados, permite que o indivíduo abra progressivamente os seus vastos campos de percepção interna, levando-o a experiências mais profundas de autoconhecimento e de transmutação – bem como a estados de saúde integral equilibrados. Como médico não-convencional, venho desde há vinte e sete anos aplicando esses conhecimentos com expressivo sucesso em amplas situações, trabalhando tanto nas clínicas onde presto serviço público quanto em momentos de retiro ou de workshops – como estes agora que se realizarão proximamente em vários locais do Brasil, para auxiliar todos os indivíduos interessados na realização de suas metas e objectivos pessoais.

Segundo o Entendimento Superior de muitos Mestres, “o homem actual está sobrecarregado de preconceitos criados no passado e de ansiedades sustentadas no presente que, para atingir um verdadeiro estado de relaxação e paz interior, precisa primeiro de passar por um processo de limpeza e libertação profundas.”

Pois bem, todos os retiros espirituais, independentemente da prática religiosa individual ou até da própria crença, ou não, são sempre uma oportunidade para poder explorar o mundo da transcendência que existe em todos nós e, sobretudo, experimentar as inovadoras e pessoais acções internas que daí podem surgir, de forma muito mais activa e consciente, as quais serão especialmente criadas no momento pelas pessoalíssimas necessidades íntimas, tendo em conta o stress e o ritmo acelerado da vida moderna, para além da percepção correcta sobre as coisas da vida e sobre o seres que nela nos acompanham momento a momento na Terra, directa ou indirectamente.

Assim, cada ser humano – profundamente ligado a si próprio, experimentará e redescobrirá o seu próprio poder e potencial humano e espiritual.

Celebrando desta forma o silêncio profundo do seu âmago, todo o indivíduo sentirá como a prática bem sucedida da Meditação pode melhorar, significativamente, a sua qualidade de vida.

Bem-haja!

Carlos Amaral


© Órbitanews 2014