Viver

Os pensamentos, a humanidade e o planeta

 

terra1


Muitas vezes durante o dia esquecemo-nos do que significa VIVER!

Viver para além dos pensamentos!

Viver para além das auto-limitações que nos impomos a cada instante!

Esquecemo-nos que somos todos “irmãos”, que somos todos parte desta humanidade, que é amor puro.

Todos nós sentimos um profundo sentimento de união com todos, e muitas vezes só nos apercebemos disso quando acontecem tragédias, quando perdemos alguém ou quando alguém está em apuros. Nesses instantes, a centelha de luz que nos impulsiona a viver em comunidade, com entre ajuda, renasce e ilumina o nosso caminho.

Ainda assim, na maioria das vezes, ainda deixamos essa centelha brilhar no meio de pensamentos limitadores, no meio de ideias e crenças que nos vêem como pequenos, frágeis e limitados, quando aquilo que nós realmente Somos não é possível de limitar.

No entanto, no meio de situações dolorosas, onde o sofrimento parece esmagar o pouco que resta de nós, mesmo nesse pequeno beco sem saída, uma luz ao fundo do túnel mostra uma saída.

Se precisamos passar por sofrimento?

Se a humanidade precisa sofrer?

Acredito do fundo do coração que não!

E acredito que para que isso não aconteça, cada um de nós tem um papel fundamental, ao trabalhar dentro de si para dissolver a dor e o sofrimento interior.

A dor não é necessária, mas quando ela está presente, essa centelha de luz que nos faz viver, independentemente do que aconteça, tem o poder de dissolver a dor por completo.


 E assim, todas as situações podem ser pontos de partida.

Mesmo com todos os acontecimentos dramáticos e dolorosos que estão a acontecer, ou que aconteceram à humanidade e ao planeta, nós podemos ser a luz que ajuda aqueles que ainda estão no sofrimento.

E a melhor forma de iluminar, é remover o sofrimento interior, deixar partir o medo e transformar o medo em Amor.

Ver e pensar nos outros como coitadinhos, como sofredores não os ajuda. Vê-los como parte do Ser que somos, com todos os recursos para ultrapassar as condições de vida por que passam neste momento, é uma ajuda incondicional.

Ajudarmos o planeta em si, sentindo como um campo de energia perfeito, que nos acolhe, alimenta e dá vida, é também uma forma de curarmos a nossa mente em relação à nossa actual “casa”.

Por mais difícil que possa ser ainda, para alguns de nós, compreender, o que se passa no nosso planeta apenas reflecte os pensamentos limitadores, sofredores e amedrontados da humanidade.

Vamos hoje deixar partir esses pensamentos?

E vamos por momentos abrir o coração e a mente à possibilidade de que está nas nossas mãos a cura completa da humanidade?

Vamos abrir-nos à possibilidade de que está em nós o Poder de VIVER?

Obrigada por existires!


© Órbitanews 2014